"Oi, Sampa. Boa noite, paulistas", a frase foi dita 45 minutos depois do horário previsto para a entrada de Paul McCartney. Quem foi ao Allianz Parque, em São Paulo, nesta chuvosa terça-feira (25), não assistiu só ao show da turnê Out There! do ex-Beatle.
    Sentiu o gostinho do que seria cantar Hey Jude a plenos pulmões com o quarteto de Liverpool, pulou com os hits dos Wings e, de quebra, ainda se emocionou com as músicas da bem-sucedida carreira solo de McCartney, o carismático roqueiro e mais novo fã da nossa língua portuguesa.

    Em quase três horas de show, Paul soube misturar bem o repertório - afinal, o que não faltam são clássicos na carreira desse músico de 72 anos, que tem mais energia no palco do que muito novinho por aí.

    No primeiro dos dois shows esgotados que fará na capital paulista, McCartney provou - como se ainda fosse necessário - todo o talento que faz dele uma lenda viva na música.

    No primeiro dos dois shows esgotados que fará na capital paulista, McCartney provou - como se ainda fosse necessário - todo o talento que faz dele uma lenda viva na música.

    Os fãs de McCartney enfrentaram alguns imprevistos antes de curtir o show. O primeiro deles: a chuva. Apesar de necessária em São Paulo, trouxe problemas e princípios de alagamentos na região do estádio. Para completar, a organização deixou a desejar e faltou sinalização e informação na hora de descobrir qual fila era para qual setor.

    Fora isso, o estádio do Palmeiras não poderia ter pedido um show melhor para ser inaugurado. Novo "point" dos shows em SP, roubando o posto do Morumbi, é bem localizado, perto da estação do metrô Barra Funda, tem uma boa acústica e ainda é bonito. Ponto para o Palestra.

    Agora, voltando para McCartney. O cantor abriu o show com um clássico dos Beatles, Eight Days a Week, emendou com Save Us e conquistou o público de vez com All My Loving. Logo após os cumprimentos em português, McCartney fez a alegria dos fãs de Wings e emendou Listen to What the Man Said e Let Me Roll It. A partir daí, o cantor continuou intercalando Beatles, Wings e sucessos da carreira solo, sem se esquecer do novo álbum, New, tocando Queenie Eye e Everybody Out There, entre outras.

    McCartney também dedicou algumas músicas para pessoas importantes em sua vida. Entre elas, a ex-mulher Linda e a atual, Nancy. John Lennon foi lembrado em Black Bird e George Harrison, o Georgie, foi homenageado comSomething.

    "Pô, meu, aqui tá bombando", disse Paul McCartney. E estava mesmo.

    Aliás, as gírias que o cantor falava - com direito a "é nóis, Sampa" - divertiram até o próprio Paul, que conquistava a plateia com seus trejeitos e dancinhas engraçadas. Irreverente, pedia cada vez mais a participação dos paulistas que, obedientes, engrandeceram o espetáculo. O público, inclusive, era bastante diversificado, com fãs de 60, 40, 30 e até 10 anos.

    A chuva só deu uma trégua em Lady Madonna, a 19ª música da noite, e voltou com tudo em Let It Be. A canção, inclusive, foi a primeira do trio mais aguardado da noite. Na sequência, a energética Live and Let Die.

    Ao som desse sucesso dos Wings, o cantor soltou até fogos de artifício e provocou barulhentas explosões, assustando algumas pessoas, inclusive ele mesmo. O resultado deixou a música ainda mais dramática.

    O momento mais emocionante da noite, porém, ficou destinado a Hey Jude. Clássico em todo show de Paul McCartney, o coro tomou conta da plateia e deixou todos arrepiados, além de iluminar o estádio. E, ao som do primeiro "nana nana nana na", a chuva apertou - e muito. Mas ninguém se importava. Ela fazia parte do espetáculo e deixava tudo ainda mais bonito. Poético, como é o ex-Beatle.

    Depois de Hey Jude, Paul McCartney deixou o palco e voltou para o primeiro bis. O ex-beatle ainda teve fôlego para Day TripperHi Hi Hi e I Saw Her Standing There. O cantor saiu para descansar mais uns minutinhos e retornou para o encerramento do jeito que os beatlemaníacos gostam, com YesterdayHelter Skelter e Carry That Weight.  

    Fim da primeira rodada dos paulistas. Nesta quarta (26), tem mais.

    É nóis, Paul. Volte sempre.

    Confira o setlist completo do show de Paul McCartney em São Paulo:

    Eight days a week

    Save us

    All my loving

    Listen to what the man said

    Let me roll it

    Paperback writer

    My valentine

    1985

    Long and winding road

    Maybe I´m amazed

    I´ve just seen a face

    We can work it out

    Another day

    And I love her

    Blackbird

    Here today

    New

    Queenie eye

    Lady Madonna

    All together now

    Lovely Rita

    Everybody out there

    Eleanor Rigby

    Mr Kite

    Something

    Obla di Obla da

    Band on the run

    Back in the USSR

    Let it be

    Live and let die

    Hey Jude

     Bis 1

    Day tripper

    Hi hi hi

    I saw her standing there

    Bis 2

    Yesterday

    Helter Skelter

    Golden Slumbers

    Da Redação
    com entretenimento.r7.com

    Levir Culpi, técnico do Atlético-MG (Foto: Reprodução SporTV)
    O Atlético-MG venceu o primeiro jogo da final da Copa do Brasil por 2 a 0, no Independência, e garantiu uma boa vantagem para o jogo de volta contra o rival Cruzeiro, nesta quarta-feira, às 22h, no Mineirão. Agora, o adversário terá de conseguir uma virada ao estilo do Galo, que reverteu situações adversas por duas vezes, nas quartas e na semifinal, para chegar à decisão. O técnico atleticano Levir Culpi sabe da força da Raposa e elogia o time comandado pelo amigo Marcelo Oliveira, mas garante que sua equipe leva vantagem em um aspecto que considera importantíssimo em clássicos: o coração (assista ao vídeo).
    - O Cruzeiro é um time mais regular, mais bem montado, digamos assim. Mas o Atlético-MG é mais coração, já está no DNA aqui do pessoal, nas partidas decisivas, nas partidas com emoção, o Atlético-MG está sempre envolvido - garantiu Levir, em entrevista ao "SporTV News",explicando também por que o Galo ficou com "fama" de clube copeiro, enquanto o rival, que acabou de conquistar o Campeonato Brasileiro pelo segundo ano consecutivo, tem se destacado na disputa dos pontos corridos.
    O técnico elogiou a qualidade do adversário, mas lembrou que o Galo já mostrou que pode vencê-lo, tanto que está invicto em clássicos este ano: em seis jogos, foram três empates no Campeonato Mineiro e três vitórias atleticanas, duas no Brasileiro e uma no jogo de ida da decisão da Copa do Brasil. Para ficar com o título, o Cruzeiro precisa fazer três de diferença ou devolver o 2 a 0 para levar a decisão para os pênaltis.
    - O time do Cruzeiro apresenta uma superioridade sobre os outros, é inegável isso, não adianta. É uma coisa do trabalho. A comissão técnica do Cruzeiro também é muito legal, conheço muita gente de lá, são caras muito competentes, não há como negar, só que na decisão de um clássico a coisa muda de figura, tanto é que temos obtido bons resultados - afirmou.
    Apesar da boa vantagem, Levir diz que prefere não fazer suposições de possíveis resultados ou lembrar o próprio histórico, quando viveu situação inversa e buscou a virada, contra Flamengo e Corinthians, depois de sair perdendo também por 2 a 0. Embora admita que existe uma pressão, o técnico lembra que o mesmo acontece do outro lado e aposta em um jogo equilibrado.- A gente está muito legal, bem concentrado. Em alguns momentos a gente passa do ponto (ao lidar com a pressão), mas a tranquilidade que eu tenho é que não acontece comigo e só com atleticanos, acontece também com Marcelo e com os cruzeirenses (...) Acho que vai ter momentos em que eles vão criar as oportunidades, e nós também vamos. Esses momentos vão decidir. Só quero que o time esteja preparado psicolíogicamente para altos e baixos durante o jogo - disse.
    Se no Independência o Galo contou com a torcida, desta vez terá de buscar o título diante da massa cruzeirense. Serão apenas 1813 atleticanos no Mineirão, número definido nesta terça-feira pela Polícia Militar. Levir lamentou que os clássicos não possam mais ser realizados com a presença das duas torcidas.
    - Sinceramente, é uma das coisas que mais me deixou decepcionado aqui no Brasil. É um retrocesso. O clube só vive com a torcida, a torcida é a alma do clube. Quando você tira a torcida do estádio, acaba o show, a rivalidade. Sinceramente, não sei quem inventou isso, acho que o cara foi muito infeliz. Pode ter tido uma lógica, uma razão, mas é uma decisão completamente infeliz - afirmou, quando questionado sobre jogos com torcida única.
    A decisão da Copa do Brasil será transmitida pelo SporTV, que entra ao vivo do Mineirão a partir das 20h, duas horas antes do jogo, para mostrar todos os detalhes do pré-jogo. Luiz Carlos Jr. narra, Lédio Carmona e Juliano Belletti comentam e as reportagens são de Josino Ribeiro, Janaína Xavier e André Hernan.
    Atlético-MG x Cruzeiro - Luan (Foto: Gustavo Andrade)Atlético-MG, de Luan, venceu primeiro jogo da final por 2 a 0, no Independência (Foto: Gustavo Andrade)Da Redaçãocom globo esporte

    dinheiro
    Os parlamentares querem elevar a partir de janeiro seus próprios salários , além dos vencimentos da presidente Dilma Rousseff, do seu vice, Michel Temer, e dos 39 ministros. A previsão é de reajuste de R$ 26.723 para R$ 33.769. O aumento tem como base o acumulado dos últimos quatro anos do índice oficial de inflação (IPCA), que segundo os técnicos é de 26,33%.
    Os congressistas, além dos salários, têm direito a apartamento funcional ou auxílio-moradia de R$ 3.800 e verba indenizatória de até R$ 41 mil para deputados e R$ 44,2 mil para senadores. O mais recente aumento dado aos congressistas e aos integrantes do Executivo federal ocorreu em dezembro de 2010.
    O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), admite a elaboração do projeto. “Tem que ter o aumento. Em toda a legislatura que se encerra, você tem que aprovar o aumento para o próximo ano. Isso é constitucional. O último aumento foi há quatro anos.”
    O artigo da Constituição citado por Alves é o 49, que trata das competências do Congresso. O texto prevê a fixação de subsídios idênticos para deputados federais, senadores, presidente e vice-presidente da República. No entanto, não há obrigatoriedade de se fazer reajustes no fim de cada legislatura.
    Efeitos
    Um novo projeto de decreto legislativo com a previsão do reajuste deve ser colocado em pauta nos próximos dias. Se aprovado, poderá ter efeito cascata nos Legislativos de todo o País, uma vez que a Constituição prevê que os deputados estaduais podem receber até 75% do recebido pelos federais.
    “Estou apenas esperando a costura com o Executivo e com o Judiciário para fazer em conjunto a votação. Quero fazer uma coisa combinada”, disse Alves. Além da Câmara, a proposta precisa passar pelo Senado. A pressa dos congressistas se deve ao fato de que o reajuste precisa ser inserido no projeto de Lei Orçamentária de 2015, que deverá ser votado antes do recesso, marcado para 22 de dezembro.
    O impacto estimado aos cofres públicos só com o aumento para os deputados é de R$ 82 milhões em 2015. Nos dois anos subsequentes o valor é de R$ 78 milhões. A diferença ocorre porque os 513 deputados federais têm direito no primeiro ano ao chamado 14.º e 15.º salários, usados como “benefício” para a mudança para a capital federal.
    Para concretizar o aumento, os parlamentares terão antes de aprovar um aumento para os ministros do Supremo Tribunal Federal valor que define o teto constitucional dos salários dos servidores, hoje fixado em R$ 29,4 mil. Um projeto do Judiciário em tramitação prevê elevação para R$ 35.9 mil.
    Estadão

    ANISIO
    O deputado estadual Anísio Maia revelou nesta terça-feira (25) que o PT já entregou ao governador Ricardo Coutinho (PSB) a lista com os nomes e espaços que o partido pretende ocupar na administração estadual.

    Sem querer antecipar os nomes, o parlamentar garantiu que as pessoas indicadas têm perfil técnico e político. “As indicações têm objetivo de fazer o governo avançar e deixamos o governador à vontade”, falou.
    Ele também apostou numa aliança duradoura com o socialista, pois, segundo ele, o PT se aliou ao PSB para construir um projeto e não um acordo político.
    O petista ainda reafirmou apoio às candidaturas dos deputados estaduais Adriano Galdino (PSB) e Gervásio Maia (PMDB) para a presidência da Assembleia Legislativa.

    Da Redação
    com Blog do gordinho

    maranhao
    A caminhada do PMDB com PSB – aliados durante o segundo turno das eleições deste ano – parece mesmo que não vai sobreviver ao início da campanha municipal de 2016. É o que podemos entender das declarações do senador eleito e presidente estadual dos peemedebistas, José Maranhão, quando afirma que sua sigla poderá lançar candidatura própria à prefeitura da Capital nas próximas eleições, deixando para trás a atual união com os socialistas.

    Nesta terça-feira (25), o líder do PMDB paraibano disse que o lançamento de candidatura própria para prefeitura da Capital é encarada com naturalidade pelo partido. “É natural que o PMDB pretenda ter candidato próprio. Isso pode acontecer, mas não descarto entendimento com os partidos em nível de segundo turno”, explicou o senador eleito.
    A afirmação de José Maranhão desconstrói o discurso pregado pelos membros dos dois partidos de que a aliança dos peemedebistas com os socialistas seria uma união duradoura. Sabe-se nos bastidores da política que, assim como o PMDB, o PSB também deve reivindicar o direito de indicar um nome dos seus quadros para a disputa da Capital em 2016. Diante disso, a declaração de Maranhão só vem confirmar o quanto esta aliança é frágil.

    Da Redação
    com Click PB


    Reajuste de 20,83% nas contas da Energisa gera impacto no bolso dos paraibanos
    O reajuste de 20,83% concedido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) à Energisa vem causando um efeito devastador na economia paraibana, na avaliação economistas entrevistados pelo ClickPB. Os novos valores tarifários que vem sendo cobrados desde setembro, atingiu as contas de energia dos paraibanos que residem em municípios atendidos pela Energisa.

    A Energisa havia solicitado um reajuste de 27,23% mas o órgão regulador autorizou 20,83. Seis municípios atendidos pela Energisa Borborema -- Boa Vista, Campina Grande, Fagundes, Lagoa Seca, Massaranduba e Queimadas -- não foram atendidos pelo reajuste, uma vez que a revisão tarifária da companhia somente será avaliada no mês de fevereiro de 2015. Ficaram de fora os moradores de Pedras de Fogo, que são atendidos pela Celpe (PE).

    O reajuste das tarifas da Energisa Paraíba, tiveram aumento médio de 21,81%. Para consumidores residenciais, as tarifas subiram 21,43%, e para grandes consumidores, como indústrias, 22,75%. A Energisa atende 1,3 milhão de unidades consumidoras na Paraíba.
    Da Redação
    com Click PB


    O prefeito da cidade de Alagoa Grande, Hildon Regis Navarro Filho (Boda), foi inocentado, nesta terça-feira (25), no Tribunal Regional Federal, da 5ª região, em processo de improbidade Administrativa. Todos os desembargadores do TRF-5 votaram favoráveis a absolvição do gestor.

    Boda havia sido condenado em uma Ação Civil Pública do Minsitério Público Federal por não repassar contribuições previdenciárias dos servidores municipais em 2008.

    A defesa do gestor alagoagrandense, que contou com os advogados Johnson Abrantes, Eduardo Abrantes, Arthur Navarro e Bruno Lopes, recorreram ao TRF-5 mostrando que Boda já tinha feito um parcelamento da dívida em 2012. Os desembargadores acataram os argumentos da defesa de Boda e votaram pela improcedência da ação.

    Boda havia sido condenado a pagar multa de R$ 10 mil e inelegibilidade por um período de três anos.

    O processo teve com relator no TRF-5 o desembargador Rogério Moreira Fialho.


    Da Redação
    com MaisPB


    Dos atuais 36 deputados estaduais, 16 não participarão da próxima legislatura a partir de 1º de fevereiro de 2015. Oito tentaram mas foram derrotados nas urnas e os outros oitos não concorreram às eleições, apoiaram parentes ou amigos.
    A deputada Olenka Maranhão (PMDB), tentou mas não foi reeleita. Em entrevista à reportagem do ParaibaJa a peemedebista afirmou que mesmo fora da Assembleia Legislativa continuará fazendo política. “Continuarei na luta, com toda militância, comecei minha vida política no mandato de prefeita (Cacimba de Dentro)  já tive vários mandatos de deputada estadual, tive agora uma votação expressiva, faltaram poucos votos para a renovação do mandato e acho que nosso grupo político é atrativo para qualquer projeto futuro e temos projetos políticos para o futuro”.
    Olenka avalia que a vida pública é assim, se ganha, se perde, e é preciso aprender com o sucesso das campanhas mas também reconhecer algumas falhas que determinaram não chegar ao objetivo. “Vou terminar o mandato e continuarei na vida pública representando as pessoas com dignidade, militando politicamente e tenho certeza que em outras lutas lograremos êxito. A verdade é que nessa campanha nosso grupo ganhou mais do que perdeu, vamos nos organizar para os próximos momentos da política”.
    O PMDB elegeu  para a Assembleia Legislativa Nabor Wanderley (ex-prefeito de Patos) e reelegeu Raniery Paulino, Trócolli Júnior e Gervásio Maia Filho. O partido elegeu ainda o senador José Maranhão, o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo e reelegeu Manoel Júnior e Hugo Motta.
    Além de Olenka Maranhão foram derrotados nas urnas no dia 5 de outubro os deputados Anibal Marcolino ((PEN), Antonio Mineral (PSDB), Eva Gouveia (PSD), esposa do atual vice-governador Rômulo Gouveia, Guilherme Almeida (PSC), Iraê Lucena (PSDB), Toinho do Sopão (PEN), Vituriano de Abreu (PSC).
    Decidiram não concorrer à reeleição os deputados Wilson Braga (PV), Márcio Roberto (PMDB), Léa Toscano (PSB), que abriu vaga para sua filha Camila Toscano eleita pelo PSDB, Ivaldo Moraes (PMDB), Gilma Germano (PPS) – no seu lugar foi eleito o esposo Rubens Germano (PSB), Domiciano Cabral (Democratas), que não conseguiu eleger o filho Arnon, Carlos Dunga (PTB), que também não elegeu o filho Dunga Júnior, e Carlos Batinga (PSC).
    Da Redação
     com ParaíbaJá

    Ipês não precisam ser cortados, defende Apan
    A Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (Apan) está preocupada com a situação dos ipês da Avenida Beira-Rio, diante das obras para o tráfego (ponte, rotatória e corredor do Bus Rapid Transit - BRT). Para Socorro Fernandes, integrante da diretoria da Apan, as obras não vão solucionar o problema de mobilidade urbana na cidade. A Apan propõe a construção de uma ciclovia no local para evitar o corte de árvores. A associação ainda pede transparência da prefeitura para divulgar o projeto à população. 
    Na Beira-Rio, há 133 ipês. Na cidade, existem 1.600, sendo 1.200 amarelos, 200 roxos e 200 rosas, de acordo com a Secretária de Meio Ambiente. 
    Socorro Fernandes conta que os ipês trazem beleza à cidade, além de ajudar no equilíbrio da temperatura. “Haverá um desequilíbrio ecológico e perda de qualidade de vida. Existem animais noturnos que se reproduzem no local”, argumentou. Para ela, a solução da mobilidade na Capital é investimento no transporte coletivo. “A prefeitura já divulgou dados que mostraram que só 20% usam automóvel em João Pessoa. Boa parte usa transporte coletivo e bicicleta para se locomover”, afirmou. A Apan disse que já foi à prefeitura várias vezes, desde 2013, para pedir o projeto da Beira-Rio, para que possam propor soluções mais adequadas para evitar o corte de ipês. 
    A reportagem tentou contato com as secretarias de Planejamento  e Infraestrutura, mas não conseguiu até o fechamento desta edição. 
    Da Redação
    com portal correio


    A Justiça Federal em Curitiba contabiliza cerca de R$ 100 milhões bloqueados das contas-correntes e fundos de investimentos de investigados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Na semana passada, o juiz Sérgio Moro, responsável pelas investigações, determinou o bloqueio das contas dos investigados e empresas ligadas ao esquema.

    Nesta terça-feira, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal informaram à Justiça que conseguiram bloquear cerca de R$19 milhões nas contas de Ildefonso Colares Filho e Othon Zanóide de Moraes, ligados a empresa OAS, e de Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras.

    Até momento, somados os valores bloqueados, desde a semana passada, nas contas-correntes pelo Banco Central ou diretamente nas instituições, no caso de fundos de investimentos, chegam a cerca de R$ 100 milhões. Os valores serão transferidos para uma conta da Justiça Federal.

    O vice-presidente da Camargo Correa, Eduardo Leite, que está preso na Superintendência da PF em Curitiba, pediu hoje à Justiça o desbloqueio de suas contas. Ele alega que sua mulher e duas filhas são dependentes dele e precisam dos recursos para sobreviver. A defesa do executivo alega que o saldo de R$ 463 mil tem origem legal.

    Da Redação
    com Tony Show

    Imagem da Internet
    A presidente Dilma Rousseff sancionou o projeto de lei que altera o indexador das dívidas de estados e municípios com a União e alivia a situação fiscal dos governos estaduais e prefeituras. O texto havia sido aprovado pelo Senado e enviado para a Presidência no início do mês. A sanção foi publicada na edição desta quarta-feira (26) do "Diário Oficial da União".
    Dilma vetou dois artigos (veja abaixo), mas manteve o que garantia correção retroativa das dívidas contraídas antes de 1º de janeiro de 2013, como queriam prefeitos e governadores. Pelo texto, o saldo devedor até essa data vai ter correção retroativa pela variação acumulada da taxa Selic (taxa básica de juros da economia) desde a assinatura dos contratos. O dispositivo não agradava ao governo, que teme perdas futuras na arrecadação e desequilíbrio fiscal, mas foi mantido após acordo com os parlamentares.
    A lei sancionada alivia a situação fiscal de governos estaduais e municipais porque reduz os juros das dívidas contraídas com a União.
    Atualmente, a correção é baseada no Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) mais 6% a 9% de juros ao ano. Com o projeto, o indexador passará a ser a taxa Selic ou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) mais 4% de juros, o que for menor.
    Vetos
    A presidente, no entanto, vetou o artigo 1º do texto, que alterava regras para concessão, por parte dos entes públicos, de benefícios ou incentivos tributários. Na justificativa do veto, Dilma disse que o artigo foi elaborado "em momento de expansão da arrecadação", mas, segundo ela, houve "alteração da conjuntura econômica".

    O outro artigo vetado determinava que os encargos calculados para títulos federais deveriam ficar limitados à Selic. Na justificativa, a presidente afirmou que esse dispostivo iria ferir o princípio da isonomia (igualdade) entre os entes, porque, segundo ela, a maioria dos devedores já pagou o montante baseada em regras anteriores. Além disso, a presidente também argumenta que, nesse caso, a União não é a única credora. 
    Da Redação
    com G1

    Trabalhistas funcionários de empresa de CG paralisam atividades
     Apesar da empresa AeC de Campina Grande ter anunciado recentemente a ampliação de 850 vagas para operadores de telemarketing, os funcionários da empresa de call center, promoveram uma paralisação ontem (25) reivindicando melhores salários e condições de trabalho.

    A mobilização foi organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores de Telecomunicações da Paraíba (Sinttel-PB) e aconteceu na frente da empresa, que funciona no bairro do Cruzeiro. A ação reuniu mais de 200 pessoas gritando palavras de ordem. Segundo a AeC, apenas 30 participantes da ação eram funcionários e nenhum setor foi prejudicado, tendo em vista que a empresa emprega 5.500 trabalhadores na cidade.

    A pauta dessa paralisação é a mesma da que foi realizada na última segunda-feira pelos trabalhadores da unidade de João Pessoa. “Nós estamos reivindicando, em primeira instância, o reajuste salarial. Pedindo que seja estabelecido um piso para a categoria. Atualmente, os atendentes que trabalham seis horas diárias recebem o salário mínimo (R$ 724,00), mas com os descontos esse valor fica menor. Queremos estabelecer um piso de R$ 850,00 para esses funcionários. E para quem trabalha oito horas por dia, que recebe pouco mais que R$ 800,00, para que seja pago R$ 1 mil”, disse o diretor de comunicação do Sinttel, Jardel Queiroz
    Da Redação
    com PB Agora

    O chileno Alexis Sánchez pode parar na reserva do Arsenal por culpa da mulher, a bela Laia Grassi. De acordo com informações do jornal La Cuarta, o atacante perdeu o ritmo dentro de campo devido a uma 'maratona sexual'

Vídeo: Marias-Chuteiras garantem o lado divertido do futebol
    O chileno Alexis Sánchez pode parar na reserva do Arsenal por culpa da mulher, a bela Laia Grassi. De acordo com informações do jornal La Cuarta, o atacante perdeu o ritmo dentro de campo devido a uma "maratona sexual" Vídeo: Marias-Chuteiras garantem o lado divertido do futebol.

    Da Redação
    com r7.com



    Policiais militares do 7º Batalhão, em Santa Rita, desarticularam, no final da tarde da última terça-feira (25), uma “boca de fumo” que funcionava em uma casa na Avenida Nilo Peçanha, no Alto das Populares. O dono do imóvel conseguiu fugir, mas a polícia conseguiu deter cinco suspeitos, entre eles o traficante Lucinaldo de Brito, 34 anos, que já era conhecido da polícia e respondia por crime de violência doméstica. Entre os objetos apreendidos, a polícia recuperou dinheiro, balança de precisão, munição, caderneta com anotações do tráfico, documentos, celulares e drogas.
    “A polícia já investigava os acusados e o local do ponto de comercialização do tráfico. Agora vamos encaminhá-los à delegacia de Santa Rita para serem enquadrados. Além do traficante, também prendemos Marcos Nascimento, 23 anos, com vários saquinhos de cocaína no bolso”, informou a tenente Suzana, do 7º BPM.
    Mamanguape – Também na última nesta terça-feira, policiais militares da Companhia Independente de Mamanguape conseguiram impedir um homicídio, na zona rural da cidade, que seria cometido por causa de uma suposta cobrança de dívida.
    De acordo com o capitão Alberto Filho, que acompanhou a ocorrência, a própria vítima entrou em contato com a polícia através do Ciope, pedindo segurança, pois estava com medo. “Ele disse que tinha uma dívida, mas que o cobrador estava ameaçando-o. Segundo testemunhas, o acusado era agressivo, principalmente quando ingeria bebida alcoólica, e costumava andar armado na região. Quando indagado sobre o que ele faria com o material, ele revelou que treinava no sítio para pegar caça”, contou.
    Com o acusado, não identificado pela PM, foram encontradas duas facas peixeiras, um revólver calibre 32 e uma espingarda. Ele foi conduzido à delegacia de Mamanguape, onde vai responder por porte ilegal de armas e ameaça.
    Da Redação
    com Nordeste1


SUBIR